Salario Mínimo 2018: Valor Atualizado, Tabela e Reajustes

Após um longo período de crise financeira, o aumento do salário mínimo 2018 poderá ser enfim uma ótima notícia para os trabalhadores brasileiros! A seguir veremos o valor atualizado do salário mínimo 2018, como será efetuado o cálculo do reajuste e a tabela completa contendo os valores dos anos anteriores. Acompanhe essas e outras importantes informações!

Salário Mínimo 2018
                                                            Salário Mínimo 2018

 

Reajuste salarial  e valor atualizado do Salário Mínimo 2018

O reajuste do salário mínimo 2018 irá depender de quanto o Brasil cresceu no ano de 2016 e de quanto foi registrada a inflação no ano de 2017.  Através dessas informações, nossos governantes chegam a um novo valor determinante.

Porém, todos os anos os trabalhadores se sentem prejudicados quanto aos reajustes.

 

No ano de 2016 por exemplo, onde o valor decretado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o salário mínimo do ano de 2017 seria de R$ 945,80.  O valor decretado pelo Governo Federal foi de R$937,00 e este foi o real valor que ficou sendo pago aos trabalhadores dependentes do salário mínimo federal.

O salário mínimo 2018 virá a ser calculado pela LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) da seguinte forma:

  • 2,9% do PIB
  • 6% do crescimento anual da inflação

Valor do salário mínimo 2018 → R$1,002,70

Até o momento, o governo mantem-se bastante confiante neste valor. Entretanto, assim que tivermos acesso a novas informações, faremos todas as atualizações necessárias.


Tabela do Salário Mínimo 2018 e dos anos anteriores

Analise agora como foram os últimos 4 (quatro) anos de reajustes salariais:

 


Valores Regionais do Salário Mínimo 2018

Em alguns estados o valor do salário mínimo é diferenciado dos demais, sendo sempre maior que o valor do salário mínimo 2018 federal. Esses estados são detentores de uma economia de certa forma mais abastada, sendo assim são capazes de manter a sua base salarial acima da base salarial federal.

Confira a seguir a lista dos estados que possuem uma base salarial diferenciada e veja qual será o valor do salário mínimo 2018 regional:

Paraná

  • R$ 1.032,02 –  Atividades agropecuárias; pesqueira; florestais e afins
  • R$ 1.070,33 –  Atividades administrativas; Manutenção e Reparação; Comércio e afins
  • R$ 1.111,04 – Atividades Industriais; Produção de bens e/ou serviços… 
  • R$ 1.192,45 – Atividades Técnicas de nível médio.

Estes valores ainda não foram confirmados, assim que houver atualização, faremos as modificações necessárias imediatamente.

Rio de Janeiro

  • R$ 1.052,34– Atividades de Manutenção; Farmácia; Garçom
  • R$ 1.415,98 –Atividades em  Construção Civil; Operadores Eletrônicos; Transporte Coletivo (cobradores, fiscais); Teleatendentes; Agentes de Marketing; Explorações Florestais e Agropecuárias; Siderúrgicos e Metalúrgicos.
  • R$ 1.091,12 – Atividades Agrícolas (Operadores de máquinas/materiais agrícolas); Costura;
    Segurança; Saúde (Maqueiros, Motorista de Ambulância); Higiene; Serviços de Turismo; Administrativas;
    Comércio; Taxistas; Secretários Executivos; Professores de Ensino Fundamental.
  • R$ 1.168,70 – Atividades Industrias (soldadores, chapeadores, caldeireiros); Atendentes Hospitalares (recepção); Classificadores de Correspondências (Carteiros)
  • R$ 2.135,60– Atividades de Contabilidade; Brigadistas; Enfermagem.
  • R$ 2 684,99 –  Atividades Jornalisticas; Advogados; Profissionais de Educação Física…

Estes valores ainda não foram confirmados, assim que houver atualização, faremos as modificações necessárias imediatamente.

Rio Grande do Sul

  • R$ 1.103,66 –  Atividades de Pesqueira
  • R$ 1.129,07– Atividades de Turismo; Hoteleiras; Alimentícia; Saúde; Industriais de extração; Motoboy; Agrícolas; Construções Civil; Telemarketing; Produção de Calçados, roupas e papéis.
  • R$ 1.154,68–  Atividades de Produção Mobiliária;  Administrativas em armazéns; Farmacêutica; Comércio.
  • R$ 1. 200, 28– Atividades de Administração Escolar; Metalúrgicas; Em condomínios residenciais;
    Industriais de vidros, cerâmicas.
  • R$ 1.398,65–  Atividades Técnicas de nível médio.

Estes valores ainda não foram confirmados, assim que houver atualização, faremos as modificações necessárias imediatamente.

Santa Catarina

  • R$ 1.009,00 –  Atividades Domésticas; Agrícolas; Transporte (exceto motoristas).
  • R$ 1.048,00 – Atividades Industriais de tecelagem, papel, calçados; Telemarketing; Vendedores Ambulantes…
  • R$ 1.104,00 – Atividades Comerciais; Cinematográfica; Farmacêutica; Alimentação;
  • R$ 1. 158,00 – Atividades Mecânicas; Metalúrgica; Motoristas; Gráfica; Saúde.

São Paulo

  • R$ 1.000,00 – Atividades de Domésticos; Motoboys; Agropecuários.
  • R$ 1.017,00 – Atividades de Carteiros; Operadores de Máquinas; Telemarketing; Cabeleireiros.

Estes valores ainda não foram confirmados, assim que houver atualização, faremos as modificações necessárias imediatamente.

É importante lembrar que estes estados possuem um calendário próprio de reajuste salarial.


Salário Mínimo Líquido 2018

Um detalhe de extrema importância para o trabalhador é salientar que todas informações até agora foram sobre os valores do chamado “Salário Bruto” ou o salário  sem os descontos que ocorrem na hora de calcular o salário mínimo 2018. Estes descontos terminam deixando o valor bruto do salário muito menor.

Conheça a seguir um pouco mais sobre o “Salário Líquido”

“Salário Líquido” pode ser considerado como o valor que o trabalhador recebe após a retirada dos desconto como o  INSS ou o FGTS.

Veja a baixo como realizar o cálculo do desconto do INSS com o salário mínimo 2018:

  • Lembrando que quem ganhar até 1556,94 terá um desconto de 8%

Confira o cálculo abaixo:

  1. Após retirada dos 8% do salário mínimo 2018 – R$1.002,70
  2. O resultado obtido será de cerca de R$ 80,22 a ser descontado
  3. Sendo assim, o valor líquido do salário mínimo 2018 ficará cerca de R$ 922,48


Confira a baixo uma lista contendo os descontos tributais mais comuns a serem pagos pelos trabalhadores:

  • Pensão Alimentícia;
  • Vale Transporte – Até 6%;
  • Assistência Médica/ Odontológica;
  • INSS – 8% a 11%;
  • Imposto de Renda;
  • Contribuição Sindical;
  • Vale Refeição – Até 20%;
  • Atrasos e Faltas.

 

Fiquem atentos! Assim que houverem novas informações sobre o salário mínimo 2018, voltaremos com as modificações necessárias. Lembrando que nosso dever é manter os leitores sempre atualizados.

15 Coisas Sobre Direito Trabalhista que Você Precisa Saber

Todos os cidadãos deveriam conhecer plenamente seus direitos trabalhistas, mas muitas pessoas ainda não entendem como funcionam e quais são seus direitos. Pensando em mantê-lo bem informado, trouxemos nessa matéria de hoje 15 coisas sobre direito trabalhista que você precisa saber.  Você vai ficar muito mais seguro depois de conhecer mais coisas sobre direito trabalhista.

15 Coisas Sobre Direito Trabalhista que Você Precisa Saber
15 Coisas Sobre Direito Trabalhista que Você Precisa Saber

1. O registro é importante e obrigatório.

Não importa se o funcionário passa 10 ou 2 horas por dia na empresa. Ao permanecer no local cumprindo ordens, ele tem um vínculo empregatício e deve ser registrado. Além disso, o empregador tem, no máximo, 48 horas para assinar sua carteira após a data de admissão.

2. Salários pagos mensalmente devem ser repassados ao trabalhador até o 5º dia útil do mês 

Exceto comissões, gratificações e percentagens específicas. O salário mínimo 2017 não deverá ultrapassar este prazo para ser pago, sujeitando a empresa à multa.

3. Férias são um direito com data determinada pelo empregador.

Após completar um ano de trabalho, o empregado pode tirar 30 dias de férias e elas devem ser remuneradas, mas quem determina a data das férias é o empregador.

4. Cada funcionário só pode exercer sua função.

O empregador que pede para o Analista de Rede dar uma forcinha com a documentação e ajudar a Recepcionista está atuando de forma proibida. Se for denunciado, acabará tendo que pagar pelas duas atividades.

5. Funcionários que pedem demissão não podem solicitar o seguro-desemprego.

Esse benefício tem como objetivo auxiliar o trabalhador que perdeu seu emprego de repente, sem qualquer planejamento, portanto, o direito só é concedido àqueles que são mandados embora.

1

6. A percentagem máxima de desconto do salário do empregado em virtude do vale-transporte é de 6%.

O empregador deve arcar com o valor restante.

7. Benefícios podem se transformar em salário.

Um benefício extra, como uma cesta básica concedida de forma habitual, pode se tornar parte do salário e, a partir desse momento, não é mais possível retirá-lo.

8. Licença-maternidade de 120 dias é um direito de toda funcionária.

Caso uma funcionária fique grávida, o INSS arca com o seu salário por 120 dias após o nascimento do bebê, ou seja, durante o período de licença-maternidade. Depois do parto, ela ainda tem 150 dias de estabilidade no emprego e não pode ser demitida nesse período.

9. Durante a gestação, uma funcionária pode se ausentar do trabalho para realizar consultas sem ser descontada em seu salário.

Nesses casos, é necessário apresentar um atestado médico para garantir a integridade do salário.

10. Horas-extra devem ser remuneradas corretamente.

Qualquer minuto que se trabalha além do expediente é considerado hora-extra. Dias úteis e sábados acrescentam 50% do valor do pagamento, enquanto domingos e feriados acrescentam 100%.

2

11. A jornada de trabalho não pode exceder 8 horas diárias ou 44 horas semanais.

Se isso ocorrer, deve ser pago hora-extra ao funcionário. Além disso, é necessário que o intervalo entre as jornadas de trabalho seja de, pelo menos, 11 horas.

12. “Salário por fora” é proibido por lei.

Empregadores que pagam “por fora” para seus funcionários a fim de se livrar da contribuição do FGTS e INSS estão agindo contra a lei e podem ser denunciados.

13. O prazo de pagamento do aviso prévio deve ser cumprido.

Em caso de aviso prévio indenizado, o acerto de contas deve ocorrer em até 10 dias corridos. Em caso de aviso prévio trabalhado, o empregador deve pagar seu funcionário em até 1 dia útil após o término do contrato.

14. Programa de prevenção de riscos ambientais é obrigatório para empresas que oferecem grandes riscos, como fábricas e montadoras.

Esse tipo de empresa deve ser capaz de apontar as condições que possam afetar a saúde do funcionário no local de trabalho e orientá-lo quanto às medidas de proteção.

15. Alguns direitos são obrigatórios em uma demissão sem justa causa.

O empregador deve acertar as contas com seu funcionário demitido sem justa causa pagando salário, 13º salário proporcional, férias vencidas, aviso prévio e multa de 40% sobre o FGTS.

Você tem algumas outras  coisas sobre Direito Trabalhista que queira compartilhar? Fique a vontade, o espaço de comentários é todo seu.

Como Funciona a Inflação no Brasil: Entenda os índices e deflação

Economia não é um assunto que todos dominam. Muitas pessoas não sabem como funciona a inflação no Brasil. O propósito dessa matéria é esclarecer os pontos básicos dessa faceta econômica para ajudá-lo a ficar melhor informado. Está pronto para saber como funciona a inflação no Brasil? Então, continue a leitura!

Como Funciona a Inflação no Brasil
Como Funciona a Inflação no Brasil

Como Funciona a Inflação no Brasil: Inflação e Deflação

O primeiro conceito que você deve entender é bastante simples. Índices de inflação nada mais são do que referências que ajudam a medir a variação de preços no mercado e o impacto dessa variação no custo de vida dos brasileiros, especialmente no valor do salário mínimo 2017.

  1. Quando os preços aumentam, chamamos de inflação.
  2. Quando os preços caem, chamamos de deflação.

Existe diversos índices de inflação. Cada um deles leve em conta a variação de preços de diferentes itens, permitindo uma medição acurada e uma avaliação correta do impacto dessa variação nos grupos certos de consumidores.

Naturalmente, um proprietário de carro é mais afetado pelos índices de inflação do combustível do que uma pessoa que anda a pé ou de metrô, por exemplo.

Agora que você entendeu esse conceito básico, fica mais fácil saber como funciona a inflação no Brasil.

Como Funciona a Inflação no Brasil: Deflação é Uma Coisa Boa?

Muitas pessoas acreditam que a deflação é uma coisa boa, pois, pensam que a economia irá melhorar com a queda dos preços. Esse é um pensamento equivocado.

Em 1929, a queda dos preços nos produtos agrícolas provocou a quebra da bolsa de valores de Nova York e resultou em uma grande crise econômica mundial.

3

Geralmente, a deflação é provocada pelo excesso da capacidade produtiva, ou seja, os preços acabam caindo quando sobram mercadorias por falta de consumidores.

Assim, mesmo com preços menores, as empresas não conseguem vender como antes, diminuindo o faturamento e o lucro, tendo que demitir funcionários e desacelerar a produção.

Todas essas mudanças na economia não surtem resultados positivos. As empresas acabam desacelerando a produção para não ficar no prejuízo e o consumidor acaba não gastando além da conta por causa do alto índice de desemprego e do baixo reajuste do salário mínimo 2017.

Quando ocorre em exagero, nenhuma das variações é boa para a economia.

Como Funciona a Inflação no Brasil: Principais Índices

Agora que você já sabe como funciona a inflação no Brasil, conheça os principais índices a seguir.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

Esse índice mede a variação do custo médio de vida de famílias que possuem renda mensal de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do Brasil. Sua apuração é mensal.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

Parecido com o IPCA, o INPC mede a variação do custo médio de vida de famílias que possuem renda média entre 1 e 5 salários mínimos. Sua apuração também é mensal.

2

Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S)

Esse índice checa os preços de 388 produtos diferentes das categorias de alimentação, produtos de limpeza, serviços e higiene, com base na cesta básica. Sua apuração ocorre de 10 em 10 dias.

Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI)

Esse índice apura os preços de todo o processo produtivo, ou seja, matérias-primas industriais e agrícolas, produtos intermediários e serviços e bens finais. Sua apuração é mensal.